Resenha – Livro Criador e Criatura

Ficha Técnica:

Titulo: Criador e Criatura

Edição: Evandro Rhoden e Claudia Aguiyrre

Capa e projeto gráfico: Osvaldo Piva

Revisão: Marco Hruschka

Autor: Luigi Ricciardi

ISBN: 978-85-5565-008-6

Editora Kazuá

Sinopse: Criador & criatura remete a um espelho, ao momento em que sujeito que cria e sujeito criado inevitavelmente se olham. As criaturas de Ricciardi são iconoclastas: não se contentam apenas em adorar seus criadores; ao contrário, apontam-lhes o dedo, expõem os momentos de preguiça e descuido de seus demiurgos. Os criadores, por sua vez, descobrem que também foram criados, que também são imperfeitas semelhanças de outros sujeitos – ocultos, indeterminados (e, em alguns casos, inexistentes). A brincadeira brinda o leitor com a sugestão de uma vertiginosa cadeia de criadores olhando não para os céus, mas para dentro de si e indagando-se sobre o que há por trás das teclas do word do sujeito que os escreve. É um exercício admirável e primoroso de meta-literatura – e, claro, de literatura, com L maiúsculo, capaz de contornar Maringá com metafísicas, com metalinguagem. Com vida.
Luigi Ricciardi é o dervixe atrás disso tudo. Reconhece-se criador, mas não nega sua condição de criatura: eis aí a grande potência do livro. Se, em alguns casos, o autor se coloca como sujeito criado, rebelando-se e colocando em xeque a existência de um paraíso além-vida, em outros, Ricciardi exerce com domínio a arte da criação. No conto que dá nome ao livro, Ricciardi descreve o delicioso e angustiante jogo de xadrez entre inventor e invenção.
O diálogo preciso (e é possível dialogar com aquilo que criamos?), o fluxo de consciência, a rédea e o controle da situação demonstram um autor estudioso, dominador de intrincadas técnicas literárias. E, se possui a técnica na rédea curta em uma mão, na outra não se deixa levar pela sisudez: brinca com mestres literários, desfila com personagens maringaenses, com futebol, com amores e elegias sobre ruas da infância.
É, de fato, digno de ser lido e aclamado. Este belo livro e o seu autor. O criador. E a criatura.

criador_e_criatura_de_luigi_ricciardi_179_1_20151023192711

Reflexivo e Complexo!

O livro é repleto de contos bem-humorados e reflexivos sobre as criaturas do criador. Em todo momento há a incógnita de “sou criatura ou criador”? As criaturas confrontam o criador sobre sua história, dizendo que o autor brinca de ser Deus. Em um dos contos por exemplo o criador vira a própria morte, em outro ele é o personagem em uma casa convivendo com suas criaturas a cena que escreve. O livro nos instiga a querer saber, sou criador ou criatura? As criaturas podem criar? O autor reconhece no livro sua posição de criador, porem também aceitando sua condição de criatura. Vou falar expecificamente de um dos contos que mais gostei, que explica e deixa a pegada do livro bem clara pra vocês.

Titulo do Conto: Criador e Criatura

O conto é sobre a criatura que descobre seu criador a “perseguindo” pelos lugares. Quando a criatura se dá conta, que na verdade é uma criação, ela confronta o criador de frente e os dois conversam em um café. A criatura se revolta com o criador, dizendo que não é só ele que pode brincar de ser Deus, que ele criou mas que ela tomou as rédeas da narrativa. O conto é divertido e ao mesmo tempo bastante inteligente. Mostra que todos nós somos criaturas, mas podemos criar também. No confronto com o criador, a criatura diz ter conhecido o criador dele, ou seja todos era criaturas de alguém.

Eu também posso escrever o destino, não percebeu que nesse conto eu já assumi há muito tempo as rédeas da narrativa? Sou eu que falo, você escuta, eu estou agindo, roubei a tua história. Você me criou, mas sou eu quem vivo.

Todos os contos são extremamente criativos. Nunca vi nenhuma outra história sequer parecida com as do Luigi. A ideia em si do livro é algo muito original e cativante. Li o livro em poucas horas, não conseguia largar. E digo, ainda queria mais.

Capa e Diagramação

A capa foi muito bem elaborada. Ela é colorida o que deixa bem chamativo. Com 6 desenhos de mãos escrevendo e sendo escritas ela mostra bastante o conteudo do livro de criador e criaturas. A fonte do titulo foi bem simples, mas escrita em um azul bem vivo destacou e combinou com os desenhos ao fundo. A lombada do livro eu simplesmente estou apaixonada. Apesar de ser simples, toda preta com o titulo em azul e o nome do autor em um rosa bem claro, eu achei linda. Amo lombadas de livros simples assim, e a fonte usada junto com o leve contorno branco nas letras fez ficar incrível na minha estante. AMEI.

O livro é dividido em 18 contos, contando com o prefacio. Todos começando em paginas impares, com o titulo do conto em negrito na lateral direita e um pequeno desenho de uma mão com lapis ao lado. Com folhas levemente amareladas, ficou bem fácil de ler sem cansar os olhos. Como já disse aqui uma vez, AMO livros com folhas amarelas. A diagramação foi excelente. Ouve espaçamentos entre diálogos, sonhos e parágrafos. O contexto do texto foi centralizado na página, enfim, ficou lindo.

Gramatica e Linguagem

Não notei erros de gramatica ou digitação. A edição do livro foi muito bem feita. Não tenho o que falar sobre gramatica. Foi tudo impecável.

O autor usa uma linguagem de fácil entendimento. Não vi palavras dificeis e nem precisei de um dicionario por perto. Usou palavras bem conhecidas – pelo menos para mim – e um tanto poetico as vezes. O autor soube conduzir desde trágedias a contos comicos com leveza e uma naturidade incrivel. Não tenho como dizer mais sobre a escrita do autor. Ele possui um jeito unico de contar as suas estórias. Somente quem ler, verá quão unico Luigi é no que faz.

Observações Gerais Sobre o Livro

A minha conclusão sobre a obra é que ela acrescenta e MUITO no cenário literário brasileiro. Eu recomendo o livro a todos. Tem contos para todos os gostos literários, desde um leve romance, ate um terror com um comedor de barrigas. Em nenhum momento o autor quis se fazer de “filosofo”, foi tudo tão natural que nem vi o final do livro chegando. A obra com certeza é única como já disse. O modo como Luigi escreve é diferente de todos os contos ou estórias que já li, mas pra entender isso é preciso ler e apreciar o livro por si mesmo. Não sei se foi intencional do autor, mas o livro me fez refletir se eu era uma criatura ou um criador. Amo livros que me faz ter debates assim, e com esse eu realmente me surpreendi em como refleti sobre o assunto. O livro é incrível, muito inteligente e bem elaborado.

No fundo, todos somos literatura, todos somos personagens inventados por nós mesmos e vivemos esse romance burguês contemporâneo.

Agradeço aqui ao Luigi, pela paciência e atenção que teve comigo. Espero poder ler outras obras desse autor de talento raro e único. Parabéns Luigi, fico honrada de ter tido a oportunidade de ler seu livro. Muito obrigada mesmo ❤

  • Para vocês que gostaram, fiquem atentos que em breve terá sorteio de um exemplar do livro com dedicatória do Luigi e marcador.
  • Aonde encontrar o livro: Livrarias Curitiba, Editora Kazua
  • Redes sociais do autor: Blog / Facebook: Luigi Ricciardi.
  • Qualquer dúvida basta entrar em contato pelo meu email (taisfranciele21@gmail.com) ou deixar um comentário que será esclarecido em breve.

cymera_20160416_010635.jpg

 

 

 

Anúncios

2 comentários sobre “Resenha – Livro Criador e Criatura

  1. Pingback: Livros que li em Abril | Inside the Books

  2. Pingback: Livros que li em 2016 | Inside The Books

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s